← Conversa Geral

Assistentes virtuais, terceirizar trabalho, trabalhar menos e produzir mais

Lida 1676 vezes

Offline

Jóni Oliveira 
Administrador
Mensagens 3428 Gostos 391
Feedback +28

Troféus totais: 35
Trófeus: (Ver todos)
Tenth year Anniversary Nineth year Anniversary Mobile User Apple User Level 6 Windows User Super Combination Combination Topic Starter 10 Poll Votes

Um dos tópicos mais abordados na internet global sempre foi o de terceirizar tarefas, evitar fazer tarefas que dão menos lucro e colocar alguém de um pais em que o salário ou a hora de trabalho seja mais baixa de forma a tirar todas as regalias de uma moeda ou economia mais forte. No entanto para nós portugueses isso sempre foi um obstáculo, com um salário mínimo e médio muitas vezes 2 a 4x inferior aos países com economias mais fortes.. por isso, fora de questão não é?

Quem deveria ter um VA?

  • Qualquer pessoa que faça da internet um ganha pão extra e não tenha tempo para se dedicar
  • Pessoas que ganham relativamente bem e querem expandir rapidamente
  • Pessoas que já ganham online e não tem tempo para descansar muito
  • Pessoas que tem um dinheiro para investir e querem criar projetos rapidamente com pouco esforço
  • Etc etc etc

Porque o VA pode ser uma boa opção?

Exemplo pessoal... Eu tinha um site onde gastava praticamente 300 euros para o manter atualizado todo o mês... até que eu descobri que pelo mesmo valor eu poderia manter uns 10 atualizados (leiam o restante..)

Tarefas que qualquer um pode fazer - é só ensinar
  • Instalar plataformas/cms
  • Analisar keywords
  • Criar conteudos e pautas
  • Gerir redes sociais de sites
  • Editar videos e audios
  • Mail marketing
  • Contratar redatores e outros freelas
  • Gerir sites em geral
  • Qualquer tarefa repetitiva que se aprenda facilmente

Não contratar freelancers a curto prazo

Geralmente os freelas cobram mais pela incerteza de trabalhos que tem ao longo do tempo, precisam de se manter seguros. Mas quando lhes oferecem uma boa oportunidade de trabalho, com as mesmas vantagens do freelancing deles mas com o mês de trabalho garantido facilmente a maioria se abre a valores bem mais baixos, mas seguros. O valor por hora deles pode chegar a cair em mais de 50% com o longo prazo

Os famosos VA ou assistentes virtuais filipinos

Eles são super famosos, super procurados na internet "inglesa", ninguém fala de outra coisa, nem os indianos chegam ao nivel dos filipinos. Filipinos são perfeitos para serviços de apoio ao consumidor devido ao inglês fluente, aprendem rapido tarefas repetitivas e afinal de contas são mão de obra humana, deixando certos serviços menos robotizados, mas eles tem um grande problema... Hoje em dia um VA filipino ganha tanto ou mais que um português a fazer tarefas básicas, nunca foram uma boa opção para uma maioria populacional que ganha o mesmo que um VA nas Filipinas, como tal não faria muito sentido para nós portugueses contratar um filipino quando a lingua deles nem é a nossa e o custo por hora seria idêntico ao de Portugal. Não tem win-win nenhum aqui.. por isso colocamos de lado, a não ser que os nossos projetos sejam mesmo em inglês, mas acreditam que não é o caso da maioria do Mais Tráfego vamos seguir em frente..

Brasil..... Brasil.... Brasil....

Quem daqui tem sites em português que rapidamente foram consumidos por pessoas do outro lado do oceano? Sim, mesmo esses sites que vocês tem que nunca foram pensados para atingir os nossos compatriotas, foi tudo por um mero acaso e lá viram que no final das contas, embora a moeda brasileira seja fraquinha comparada ao Euro, em termos de volume o Brasil nos ganha quase sempre em quase todos os nichos... Mas pronto, não vamos falar de ganhos aqui, apenas de investimentos.

Salário Minimo Brasileiro
Até à uns dias atrás era de 850 reais, no entanto segundo a Globo foi agora atualizado dia 1 para 930... e o que isso quer dizer? Quer dizer que eles tem um salário minimo na casa dos 280 euros, meio mês de trabalho em Portugal podem ser investidos no Brasil para substituir 1 mês inteiro de trabalho árduo. Será?

Na teoria sim.. mas..

Na teoria é facil contratar um Brasileiro para gerir os projetos da lingua portuguesa, fazer tarefas de desenvovimento, seo, gestão de projetos, criação de conteúdo, entre outros, mas tem alguns pontos que farão com que o funcionário ou assistente brasileiro não se enquadrem facilmente no tipo de VA que todos queremos e procuramos, assim como os americanos fazem com os filipinos e é ai que se tem de ter um pouco de atenção.
  • O Brasil está em crise, mas é fácil para um Brasileiro bom de Internet ganhar 2 ou 3x um salário medio nacional
  • Tem de se ter cuidado com vinculo empregatício, basicamente se o funcionário provar que é vosso funcionario a tempo inteiro, terão de lhe pagar todos os direitos e na hora de mandar embora vão ter alguns probleminhas..
  • É preciso criar muita confiança e tentar manter os bons ao máximo.

Para driblar vínculos empregatícios, contratem vários freelas a X meses e vão dando spinning (pode soar mal, mas é assim mesmo..)

Vamos lá, como conseguir bons freelancers Brasileiros mais baratos

aviso inicial, estou a ensinar a terceirizar tarefas e não a explorar pessoas, calma com os mal entendidos

Em primeiro vamos em sites e grupos de freelancing do Brasil, no caso o melhor exemplo que posso dar é o Workana.com (para quem quiser perder um pouco mais tempo, faça direto um fbads e evite os terriveis 17% de taxa do Workana), agora vamos criar vários anuncios para as funções que pretendemos, usar a mais basica de todas, alguém para escrever sobre moda e cabelos.

No anuncio de moda e cabelos colocamos claro que queremos alguém para uma posição de longo prazo, mas inicialmente contratamos somente 10 artigos para testar as habilidades de todos os freelancers e obviamente avaliamos a escrita, rapidez de entrega e tudo mais.

No mesmo anuncio e se possivel na mesma form de contacto com os freelancers fazemos propostas de longo prazo, "Quanto me cobrarias por escrever 4, 6 ou 8 artigos diários no mesmo padrão de exigencia mensalmente? e por aí vamos. Pelo custo de ter um freela a escrever 50 artigos por mês, consigo facilmente alguém "mensal" para me fazer 150. Os preços que vão encontrar por artigo em media será entre os 12 e os 40 reais, no entanto se fecharem um contrato mensal esse preço pode se encontrar dos 5 aos 20 reais por unidade.. vai depender dos temas, da complexidade e de todas as outras exigencias.

Como enviar pagamentos para o Brasil
  • Azimo.com é o melhor site no momento, alguns bancos leva 5min para recebere. Transferwise é a segunda opção e tem paypal, mas paypal vai ser dificil convencerem alguem de lá
  • Hotmart, eduzz e monetizze. Se querem usar estas plataformas e n conseguem levantar dinheiro.... Acordem com os vossos freelancers de ceder uma autorização de saque para eles, gerem vendas e dinheiro nas plataformas e usem o saldo para pagar "salários"... Reinvestimento que tem dado bem certo aqui.
  • Plataformas de freelancing tipo Workana.com (17% de taxa autch), upwork, etc

Como gerir tarefas, metas e arquivos

Eu aqui uso Skype para comunicarmos, Trello para planeamento de tarefas, brainstorming, prazos, etc e um google drive no business para emails e arquivos de cada um.

2015 e 2016 criei mais conteudo que em 4 anos de internet e gastei menos que todos os outros anos

Em 2015 contratei uma escritora a meio tempo por 650 reais, mais tarde passei para 950 reais a tempo inteiro, na altura era mais que o salario minimo com médias de produção de 70 a 120 artigos por mês, 2016 contratei mais 2 com a mesma média de produtividade. Sem nunca exigir que elas não podessem fazer freelancing para outras pessoas, facilmente aceitaram os trabalhos remotos com o unico objetivo de criar X artigos até à meia noite de cada dia, 5 dias por semana.

Para além das redatoras contratei um rapaz inicialmente para escrever, por 650 durante 6 meses, fui lhe ensinando sobre SEO, rentabilização, nichos, etc ao longo de 6 meses e atualmente ele recebe 1500 reais para fazer tudo o que eu tinha de fazer, todos os pormenores de gestão de sites, seo, controlar redatoras, criar pautas, colocar sites online, gerir dominios, alojamentos, etc, etc basicamente ele deixou-me mais de meio ano sem ter de trabalhar muito, para eu poder tirar umas ferias intensas dos últimos quase 7 anos de foco total sem os negócios perderem o rumo.

Agora dia 3 voltei a pegar nos sites e tudo mais, inclusive tou a lançar um curso de gestão de sites, que inicialmente foi pensando só para ensinar os funcionarios e tenho tempo para focar naquilo que eu acho mais importante sem que as coisas mais simples mas também importantes percam o rumo.

Tudo isto para dizer que embora sejamos portugueses, embora muitos não passem de 600-1xxx euros mensais, ainda conseguimos competir com os nossos colegas de outros paises e conseguir ter um VA do nosso lado, para nos ajudar a produzir mais, manter os sites todos em crescimento e tudo mais, basta procurar no lugar certo, encontrar as pessoas certas e acordar valores bons para ambas as partes sem parecer um explorador e dando sempre beneficios por metas cumpridas ou até uns aumentos a cada x tempo.

+++escrito do tele, só para não perder vou publicar aqui e depois faço revisão e organizo melhor as ideias+++
Offline

kurtmix 
Membro
Mensagens 1894 Gostos 600
Feedback +4

Troféus totais: 25
Trófeus: (Ver todos)
Seventh year Anniversary Search Level 5 Windows User Super Combination Combination Topic Starter Level 4 Level 3 Level 2

Bem explicado Joni. A ideia que transmites é esclarecedora e de ter em conta. Anteriormente comentaste isso (não me lembro se aqui no fórum ou por PM) de ter pessoas no Brasil a trabalhar para nós e empregar os lucros que obtemos das plataformas braileiras para fazer esses pagamentos. Sem dúvida que a ideia é boa, mas comigo correu mal. Fiz um acordo de teste com 2 brasileiros, um deles para me recriar um theme prestashop e adaptar às minhas necessidades e outro (no caso uma mulher) para redigir artigos para 2 pequenos sites. No caso do theme até não correu mal de todo, apesar de na realidade ter sido abordado pelo freelancer para pagar um extra que não estava acordado (caso contrário não completava o trabalho) como gostei do resultado paguei esse extra que era de valor relativamente baixo. Mas o que está em causa é falha no acordo, que caso fosse um projecto de valor mais elevado certamente ia causar-me despesas que não deviam existir.
Já no caso da criadora de conteúdo a situação foi pior, na primeira semana tudo ia bem e eu desliguei dos sites porque estavam entregues a ela já que ela publicava direto no site aquilo que escrevia, porém, o que essa pessoa começou a fazer foi criar artigos incoerentes, só para avultar e mostrar trabalho feito (mas eu lia os artigos e acabava por não perceber aquilo que estava escrito), usava palavras muito "abrasileiradas" cortava palavras tipo "para" escrevia "pra", etc. Também lhe tinha explicado como optimizar os textos para SEO mas devia ser muito trabalho para ela...
Com isso após 1 mês tinham caído cerca de 25% as visitas orgânicas desses 2 sites de nicho.
Onde quero chegar com isso?
Pois, acho que é clara a ideia, é preciso ter cuidado com quem trabalhamos e em quem confiamos. Sem dúvida que todos os que se dedicam de forma profissional à web, precisam de auxiliares que façam uma boa parte do trabalho. Ainda assim, sem querer transmitir a ideia de xenofobia ou racismo, eu prefiro pagar um pouco mais e ter portugueses a tratar dos trabalhos, mesmo os de baixa importância.
Temos em Portugal INFELIZMENTE muitas pessoas que estão desempregadas apesar de serem pessoas formadas e qualificadas, muitas vezes nem se importam de trabalhar por um valor um pouco abaixo daquele que seria o justo em trabalhos freelancer que ajudam a equilibrar as contas até que surja algo melhor.
Essa é a minha opinião pessoal, cada pessoa é livre de trabalhar como quer e com quem quer, mas eu dou sempre prioridade ao produto português e também às pessoas portuguesas.
Bom trabalho!
Offline

spykerGM 
Beta tester
Mensagens 621 Gostos 202
Troféus totais: 19
Trófeus: (Ver todos)
Linux User Mobile User Level 4 Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 3 Level 2 Level 1

Concordo com o kurtmix...

Em termos salariais, as diferenças de um português para um brasileiro não são assim tão grandes e compensa muito mais por vários motivos, sendo os principais a proximidade (podendo haver um encontro cara-a-cara, explicar tudo direitinho, melhor conversação) e mesmo em termos de qualidade.

Isto porque se formos analisar um brasileiro que te crie conteúdo de qualidade, mesmo com acordo de longo prazo, eles têm tendência de cobrar mais, como é óbvio, diminuindo ainda mais a diferença salarial.

Não é impossivel arranjar brasileiros que trabalhem bem, a horas e com um valor interessante para o webmaster, mas só aquele tentar aqui, testar acolá, o risco da pessoa ir desiludir (o que é mais alto do que se gostaria), ... Muitas vezes acaba por compensar mesmo não ir por essa via e optar pelo nacional.

É a minha opinião com experiências a trabalhar com alguns freelancers... Partilhem um pouco das vossas também.
Offline

Jóni Oliveira 
Administrador
Mensagens 3428 Gostos 391
Feedback +28

Troféus totais: 35
Trófeus: (Ver todos)
Tenth year Anniversary Nineth year Anniversary Mobile User Apple User Level 6 Windows User Super Combination Combination Topic Starter 10 Poll Votes

De experiencias com freela pt e br as experiencias de bom e mau foram identicas até agora.

Contratar  estudante brasileiro de jornalismo sai me 50% mais barato que um portugues. Tem muitos mais brasileiros com conhecimento de web (bases de seo, wp, etc) que portugueses e questão geográfica acho totalmente irrelevante na maioria dos negocios digitais.

No entanto vai das experiencias de cada um. Via plataforma de freelas trabalhei com 2 portugueses e 19 brasileiros no ano passado e somente um brasileiro levou feedback negativo.

Dicas para evitar problemas tanto com pt como com br:
Pago sempre no final, é condição principal para trabalhar com qualquer um. No primeiro mes por questoes de confianca posso ate adiantar metade, mas raramente o faço.

Outro ponto que acho relevante, por 400 e qualquer coisa euros a maioria dos brasileiros vao trabalhar so para nos, não tendo muitas distraçoes, ja os portugueses acredito que vão procurar mais part-time ou biscates :) 

Acerca de diferenças salariais, o custo de produção de um ano de conteudo por um salario minimo portugues dá para ser cortado a meio por um brasileiro. Mas também depende se o vosso site é pt ou br, no meu caso tenho apenas 3 ou 4 sites pt-pt.

Mas indo para outro ponto mais tecnico, facilmente acham algum br para ser webmaster de uma rede de sites, ja um portugues é bastante dificil... e facilmente contratam um br por um valor menor para fazer exatamente o mesmo do pt. ( pelo menos no meu caso foi assim...)
Notem que não estou a falar de colocar alguem a ganhar 500 euros diretos num fulltime e sim 250 euros fulltime por 6 meses para ver no que dá e para aprender ao nosso jeito, depois subir salario vai de cada um (recomendo para manter a pessoa)

Ps: no caso de sites pt-pt eu daria prioridade a um portugues sem duvida alguma.
Offline

Diogo Pinto 
Administrador
Mensagens 4388 Gostos 363
Feedback +4

Troféus totais: 37
Trófeus: (Ver todos)
Avatar Search Level 6 Linux User Mobile User Super Combination Combination Topic Starter 50 Poll Votes 10 Poll Votes

Bem, grande tópico que explica bem a importância das pessoas certas na nossa equipa, embora não compactue com os VA (especialmente Filipinos), já vou explicar mais abaixo porquê.

Na minha opinião delegar é fundamental - e na minha experiência nada é mais eficaz que um contrato de trabalho ou a existência de um espaço físico onde as pessoas partilham processos, procedimentos e, sobretudo, tempo juntas. Explico em baixo também porquê.

O meu passado com VAs...

Para contexto, VA = Virtual Assistant

1/09/2015: Contratei um VA filipino, propôs pagar cerca de 250$ e ele dispunha de um período trabalho de cerca de 12 horas para mim. Eu fiquei extremamente preocupado com o facto de ter alguém disposto a "escravizar-se" por esse valor (nem estou a brincar) e propus imediatamente que apenas queria a sua ajuda durante 4 horas por dia (durante a noite em PT para estarmos os dois online) e pagar 120$. Ele poderia arranjar outras parcerias ao mesmo tempo.

PROBLEMA: rapidamente descobri que eu não tinha um virtual assistant. Tinha dezenas deles, que trabalhavam em escritórios e assumiam a personagem de apenas um. Isto foi aparente após cerca de 2 semanas quando se lia um texto em inglês e percebias que tinha sido escrito por três pessoas diferentes. Abordei um grande nome nesta indústria e pedi referências e rapidamente me explicou que nestes escritórios, eles contratam pessoas a ganhar salários míseros e a gerir várias pessoas, criando personagens fictícias...

Não quis compactuar com isto e senti-me defraudado... VA nunca mais.

Antes de contratar - associar

Isto é matéria para um futuro post. Pesquisem: teoria de Herzberg. Mas resumidamente...

Em todos os negócios que tenho, ou tenho um "braço direito" ou sou o braço direito. Isto é fundamental - eu dou às pessoas que querem sentir responsabilização e motivação para trabalhar todas as ferramentas. Incluo-as nos meus projetos, além de pagar dividendos, divido revenues. E não estamos a falar apenas de negócios online, isto acontece maioritariamente em negócios offline.

Isto traz (como já infelizmente me aconteceu) um grande risco associado de desilusão... mas a desilusão é uma aprendizagem. Atualmente, e recomendo que tenham cuidado, apenas faço contratos tácitos e verbais com pessoas da minha confiança máxima para ocuparem "essas posições". Não queiram, especialmente em Portugal, ter uma empresa em sociedade, se são pessoas emocionais e que se preocupam com outras pessoas. Mas enfim...

A minha política de contratação...
  • Pessoas que trabalham presencialmente comigo para contratos sem termo
  • Contrato apenas pessoas que nunca, por algum motivo, me deixaram a duvidar das suas capacidades - se alguma vez duvidei é provável que a pessoa falhe
  • Não leio CV - peço apenas comprovativos das formações (para proteção) e coloco a pessoa à experiência
  • OPINIÃO PESSOAL - Não peço apoios estatais. Se eu confio na pessoa invisto nessa pessoa com todo o risco inerente

Se vais contratar em Portugal...

Boa sorte caro amigo, mas tudo compensa! A carga fiscal é imensa, o despedimento é complicado e não te safas (e ainda bem) de pagar um subsídio de Natal e de Férias, mesmo que a pessoa tenha estado 3 meses de baixa por ter torcido o pé. E se pedes para fazer uma ajuda numa tarefa porque estás com horário cheio, é bom que estejas disposto a pagar horas extra, devidamente tributadas, porque os portugueses não deixam passar uma :P

A minha última experiência de contratação

Foi a Karine. Brasileira, estudante em Portugal, enviou um CV para a empresa. Passado um dia ligou. Passado três dias apareceu. Passado 5 dias estava à experiência. Boa Karine, és parte da equipa!

Eu disse de antemão (e perdoem-me a generalização) que uma brasileira era um problema devido ao segmento de pessoas com quem trabalho... Depois de ela, no período de experiência, ter mostrado um performance brutal, não ter atrasado um segundo um dia e ainda dar "horas extras" à empresa a partir de casa sem eu lhe pedir nada, ter criado indicadores de performance por sua iniciativa, ter implementado processos na sua função com total autonomia... Cativou-me. Além disso, é uma pessoa extremamente ambiciosa que eu sei que algum dia vai querer crescer mais que aquilo que eu consigo oferecer - mas é um grande orgulho para mim ajudar a moldar uma pessoa deste profissionalismo numa grande pessoa de amanhã...

(O @kurtmix prefere portugueses, eu além de antigamente preferir rejeitava qualquer outra proposta, eu apenas queria contratar portugueses. Rapidamente percebi, o profissionalismo não escolhe nacionalidades)

Para concluir (EU ANDO-ME A ESTICAR NO COMPRIMENTO DOS POSTS!!)

  • Não contrato VAs
  • Trabalho com as pessoas pessoalmente
  • Invisto em formação
  • Partilho lucros
  • Apesar da carga fiscal, é tudo feito a partir de PT
  • Dou responsabilidade e mérito
  • TENHO UM GRANDE ORGULHO NA MINHA EQUIPA (espero que eles não leiam isto e gozem comigo)

Irei tentar que algum venha cá contribuir um pouco sobre as políticas de motivação que instituí...

IMPORTANTE (e que ia esquecer)

Não sou chefe, patrão, nada disso. Não me tratam por Sr., Dr., Prof., Sr. Eng., Sr. Dr. Prof., aboli títulos para toda a gente (tenho pessoas com muita mais formação que eu). Sou colega de equipa. Trabalhamos todos para o mesmo lado e todos nos responsabilizamos pelos erros e somos creditados pelos feitos devidos. Teamwork all the way! Vou tentar tirar uma foto de equipa para colocar cá!... :)
Offline

jotix 
Membro
Mensagens 227 Gostos 10
Troféus totais: 27
Trófeus: (Ver todos)
Windows User Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 5 Level 4 Level 3 Level 2 Level 1

Excelente tópico @jóni oliveira :)

Nem sabia que existiam sites de contratação e oferta de serviços :)