← Startups

Serão as joint ventures e os BA uma aposta para um empreendedor?

Lida 6235 vezes

Offline

Nuno 
Administrador
Mensagens 7780 Gostos 216
Feedback +2

Troféus totais: 42
Trófeus: (Ver todos)
100 Poll Votes Level 7 Search Mobile User Level 6 Super Combination Combination Topic Starter 50 Poll Votes 10 Poll Votes

Estava a ter uma discussão interessante no twitter e surgiu a opinião de que os Businnes Angels e as Joint Ventures, não seriam uma oportunidade/escolha viável tendo em conta a realidade do mercado português ou até no contexto europeu.

Gostava de saber a opinião de quem tem alguma experiência nesta área, se estes negócios/modelos de financiamento, podem ser uma realidade, ou se de alguma forma têm de ser adaptados, mais abertos e "jovens/embrionários" que os típicos modelos americanizados.

Não é difícil perceber que os investidores começam a chegar à web em Portugal (até no +t já existem algumas propostas), também eu já recebi por mail algumas propostas, de certeza que alguns de vocês também. E de facto receber no mail alguém a dizer que tem milhares para investir no nosso projecto a troca de nada, ou quase nada, parece-me algo ainda um pouco utópico para a web e o país que conheço.

Será que já existem modelos que libertem os fundadores de terem que pagar se falharem. Alguém com mais experiência nisto, para nos elucidar?! Tenho a certeza que como eu, muita gente ainda tem estas dúvidas e muito medo de investir.

Será o bootstrapping a única alternativa viável para nós? Deixo a discussão aberta a todos...
Offline

Schweppes 
Elite
Mensagens 457 Gostos 5
Troféus totais: 27
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 5 Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 100 Posts

Olá Nuno,

Penso que poderá funcionar bem quando os negócios são já maduros e o potencial esteja lá (assim como o factor diferenciador).  A fase negocial é das mais imporantes e muitas vezes bastante demorada. Mas quando corre bem, corre bem...

Eu já estive envolvido em 3 ou 4 situações ao longo dos anos e sempre optei no final por continuar "por nossa conta". Em retrospectiva foram boas decisões...hoje sou o business angel de mim próprio :)
Offline

MiguelT 
Membro
Mensagens 86 Gostos 0
Troféus totais: 17
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Level 3 Level 2 Level 1 50 Posts 10 Posts First Post Karma

Esta é uma questão muito pertinente. :ideia:

No mercado espanhol (que é o que tenho mais contacto) o capital de risco foi fundamental para alavancar alguns projectos na sua internacionalização.

Seria interessante ter aqui uma lista das empresas de capital de risco com perfil de investimentos online em Portugal.
Offline

Dub 
Membro
Mensagens 1335 Gostos 7
Feedback +8

Troféus totais: 29
Trófeus: (Ver todos)
Avatar Tenth year Anniversary Windows User Super Combination Combination Topic Starter 10 Poll Votes Poll Voter Level 5 Level 4

E onde estão esses investidores que começam a chegar à Web, Nuno ?
Offline

magnatic 
Membro
Mensagens 175 Gostos 0
Feedback +6

Troféus totais: 23
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 100 Posts 50 Posts

Citar
1 Milhão de euros para start-ups na Internet
O Grupo ActualSales, o maior grupo nacional de marketing e vendas online em Portugal, criou um novo fundo de investimento para apoiar novas empresas portuguesas do sector da Internet e telecomunicações móveis: o NetValue Ventures. 31-01-2011

O NetValue Ventures é um “seed capital fund” que tem por missão desenvolver projectos vocacionados para Internet e para dispositivos móveis, com potencial de crescimento rápido e global. O fundo será inicialmente constituído com um milhão de euros, com um horizonte temporal de três anos, podendo ser reforçado até aos 5 milhões de euros mediante a entrada de novos parceiros e investidores.

A estratégia de investimento do NetValue Ventures será centrada em projectos de pequena dimensão mas com capacidade para crescer de uma forma rápida e global. Numa primeira fase, o NetValue Ventures irá investir até 50.000 euros por projecto.

O NetValue Ventures irá, para já, focar a sua actividade em Portugal, podendo mais tarde abrir o fundo a outros projectos criados nos países onde a ActualSales está presente. De momento, está seleccionado um projecto, que será lançado e divulgado brevemente.

"Estamos a analisar de momento uma dezena de projectos nacionais e esperamos lançar cinco projectos até ao final deste ano. Portugal será, tal como foi para a ActualSales, um mercado de desenvolvimento mas temos ambições de exportar a NetValue Ventures para outros mercados onde estamos presentes", comentou Hugo Macedo, Chief Operational Officer do Grupo ActualSales e responsável principal da NetValue Ventures.

http://www.channel-partner.pt/article.php?a=10676
Offline

Jerson 
Elite
Mensagens 2401 Gostos 0
Troféus totais: 28
Trófeus: (Ver todos)
Windows User Super Combination Combination Topic Starter 10 Poll Votes Poll Voter Level 5 Level 4 Level 3 Level 2

Se poderão eventualmente ser uma alternativa viável? Eu acredito que sim, mas depende de inúmeras circunstâncias. Concordo com o Schweppes, também acho que em projectos maduros, organizados e bem conduzidos pode ser uma alternativa. É preciso ter cuidado também, até porque ninguém está neste negócio para perder dinheiro e uma das coisas que eu pessoalmente aprecio no webmastering é o seu forte cariz independente.
Offline

cjseven 
Administrador
Mensagens 1809 Gostos 26
Feedback +3

Troféus totais: 28
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 5 Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 1000 Posts

Disclaimer: Eu não pesco nada disto mas são estes os meus raciocionios: :D

- O BAs existem em proporção à liquidez existente.
- Portugal tem um problema grave de liquidez.
Logo existem poucos BAs em Portugal.

- O Estado (subsidio para isto, subsidio para aquilo, etc) é o principal "investidor" do país.
- A malha empresarial portuguesa (genericamente falando) é um forte dependente desses "investimentos" e culturalmente aversa ao risco.
Logo a malha empresarial não tem uma cultura de investir mas sim de procurar subvenções.

Eu acho tb que a maior parte das ideias não precisam de 6 digitos para se colocarem em marcha. Muitas vezes nem de 5 digitos.

Por outro lado, os BAs não devem ser considerados como poços sem fundo de dinheiro. Por ser capital de risco não quer dizer que haja dinheiro a pontapés para atirar para qualquer projecto.

Se um "idiota" tem uma ideia e precisa de 10k, vai ao banco e assume o risco. Não precisa de um BA.

Se um idiota tem um ideia e precisa de 100k, cria um plano de negócios bem detalhado, com as perspectivas de retorno a curto, médio e longo prazo e vai à luta: aos bancos, BAs, potenciais BAs, etc. Se a ideia der retorno, estou certo que os BAs aparecem.
Offline

MiguelT 
Membro
Mensagens 86 Gostos 0
Troféus totais: 17
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Level 3 Level 2 Level 1 50 Posts 10 Posts First Post Karma

Eu acho que é fundamental que o capital venha de uma entidade com experiência em e-business e que te possa dar inputs para o crescimento do teu projecto online.

Esse é o problema, e não sei se em Portugal existem grupos de capital com essas características e experiencia de mercado. (ex. http://www.grupointercom.com/quienes-somos-grupo-intercom)
Offline

Tiago 
Membro
Mensagens 209 Gostos 0
Troféus totais: 25
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 5 Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 100 Posts

Procurar um financiamento sem risco associado é tarefa complicada

Será que já existem modelos que libertem os fundadores de terem que pagar se falharem. Alguém com mais experiência nisto, para nos elucidar?! Tenho a certeza que como eu, muita gente ainda tem estas dúvidas e muito medo de investir.

Será o bootstrapping a única alternativa viável para nós? Deixo a discussão aberta a todos...


O que procuras será um Financiamento a Fundo Perdido. Que são normalmente verbas europeias para grandes projectos.
Para pequenos projectos o mais comum em Portugal é o recurso ao PAECPE (Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego). O financiamento vai até 95% e em alguns  casos não é reembolsável. Neste caso o promotor deve ser desempregado e nunca ter tido um contrato sem termo.

Tens ainda linhas de crédito com juros muito baixos: a INVEST + e FINICIA. Uma boa leitura: www.anje.pt

É necessário alguns conhecimentos de gestão para efectuar uma candidatura, mas nada que a anje ou aep não possam ajudar.

No que toca ao bootstrapping, para a grande maioria de projectos que passa por aqui é na minha opinião a solução mais acertada
Offline

Stromberg 
Membro
Mensagens 621 Gostos 0
Feedback -1

Troféus totais: 23
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 500 Posts 100 Posts

Nuno, importa referir que os investidores que começam a chegar à web portuguesa estarão porventura menos interessados em websites de conteúdos e modelos de negócio à volta de adsense+affiliate  do que de empreendedores - engenheiros, developres, etc "criadores" - que consigam produzir algo concreto que se venda num mercado global.
aqui a "web" significa várias coisas diferentes, ou pelo menos eu não conheço nenhuma start up financiada ou bootstrapada cujo core sejam blogues ou o webmastaring.
Offline

Stromberg 
Membro
Mensagens 621 Gostos 0
Feedback -1

Troféus totais: 23
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 500 Posts 100 Posts

E onde estão esses investidores que começam a chegar à Web, Nuno ?

eles andem aí, basta estar atento (jornais, twitters, etc).
Offline

Stromberg 
Membro
Mensagens 621 Gostos 0
Feedback -1

Troféus totais: 23
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 500 Posts 100 Posts

Se um "idiota" tem uma ideia e precisa de 10k, vai ao banco e assume o risco. Não precisa de um BA.

Se um idiota tem um ideia e precisa de 100k, cria um plano de negócios bem detalhado, com as perspectivas de retorno a curto, médio e longo prazo e vai à luta: aos bancos, BAs, potenciais BAs, etc. Se a ideia der retorno, estou certo que os BAs aparecem.

Mas isso que propôes é o que já acontece e é o principal motivo de haver pouco espirito empreendedor em Portugal. Assume os riscos, falha, e passa o resto da vida a pagar pelo falhanço. Lá fora o gajo falha, volta a tentar, falha, volta a tentar e sucede. Depois tenta novamente, e sucede. Volta a tentar e falha? Paciência, levanta-se e tenta mais uma vez! Isto só é possível se houver uma cultura de empreendedorimo e investimento que permita haver falhanços e estimule os sucessos. O que não é o caso de Portugal ou da tua citação.
Offline

cpdesign 
Membro
Mensagens 235 Gostos 0
Troféus totais: 21
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 100 Posts 50 Posts

Há muitos empreededores em Portugal.
Muitas vezes os empreendedores têm um projecto/ideia mas não têm capital. Como a banca e os projectos a fundo perdido nem sempre são fáceis de conseguir, a alternativa são os investidores - os BA's (operam com capital de risco).

Os BA's normalmente apostam em Startups e Spin off's, porque têm um ciclo de crescimento muito rápido e o retorno ou pagamento do empréstimo acabam por ser quase garantidos a curto prazo.

Se os empreendedores acharem o processo recurso a investimento de BA's muito difícil e que poderão ficar a perder, é porque não têm fé nas suas capacidades nem na viabilidade do projecto - sinal de alarme para os BA's.

Também há muitos empreendedores que não têm know, conhecimento do mercado em que querem operar, e não acrecentam nada de novo ao sector... e isso é outro sinal negativo para os BA's, banca ou qualquer outro investidor.
Offline

Nuno 
Administrador
Mensagens 7780 Gostos 216
Feedback +2

Troféus totais: 42
Trófeus: (Ver todos)
100 Poll Votes Level 7 Search Mobile User Level 6 Super Combination Combination Topic Starter 50 Poll Votes 10 Poll Votes

Nuno, importa referir que os investidores que começam a chegar à web portuguesa estarão porventura menos interessados em websites de conteúdos e modelos de negócio à volta de adsense+affiliate  do que de empreendedores - engenheiros, developres, etc "criadores" - que consigam produzir algo concreto que se venda num mercado global.
aqui a "web" significa várias coisas diferentes, ou pelo menos eu não conheço nenhuma start up financiada ou bootstrapada cujo core sejam blogues ou o webmastaring.

Ninguém disse isso, nem escrevi nada parecido com isso... Este tópico é "generalista" e tem como intuito esclarecer/ajudar pessoas que possam ter dúvidas nestes modelos de negócios, pois a falta de informação nesta área é gritante, há que começar a promover a discussão e a troca de ideias. Como tal poder contar com as opiniões de pessoas, ou experiências realizadas nestas áreas era uma mais valia para todos.
Offline

Stromberg 
Membro
Mensagens 621 Gostos 0
Feedback -1

Troféus totais: 23
Trófeus: (Ver todos)
Super Combination Combination Topic Starter Poll Voter Level 4 Level 3 Level 2 Level 1 500 Posts 100 Posts

Ninguém disse isso, nem escrevi nada parecido com isso... Este tópico é "generalista" e tem como intuito esclarecer/ajudar pessoas que possam ter dúvidas nestes modelos de negócios, pois a falta de informação neste área é gritante. Como tal poder contar com as opiniões de pessoas, ou experiências realizadas nestas áreas era uma mais valia para todos.

ah bom, como estamos num fórum de webmasters assumi o contrário. mea culpa então.