Como rankear em primeiro no Google - Um estudo de um milhão de páginas

Lida 778 vezes

Jóni Oliveira

Administrador
Recebi agora mesmo uns emails do site growthhack.com.br e no site vinha uma indicação de um artigo sobre analise e SEO bastante interessante:

Citar
Backlinks matter. On average, the top 2 results on page 1 of Google equated to having 38% of all the backlinks from pages on page 1.

On average, the higher up page 1 the result is, the greater the number of linking domains that the webpage has. Webpages ranking #1 had an average of 168% more linking domains than those ranking #5.

Webpages on HTTPS had positive correlation with higher rankings, with 33% of all the sampled URL that ranked either #1, #2 or #3 using HTTPS.

Anchor text is still a huge ranking signal. Webpages ranking #1 had an average of 5.42% of their anchor text actually including their target keyword. The further up page 1 you look, the higher this percentage goes.

Top-ranking webpages tended to have shorter page titles, with the sweet spot nearing closer to 8 words in length.

Webpages with their target keyword in their URL tended to rank higher in Google than those that didn’t.

Including your target keyword within your page title positively correlated with higher search rankings. Of the sampled data, over 15% of all the page 1 rankings included the target keyword within its page title.

Across the results of page 1, the average ratio of backlinks to linking domains was 37:1. This means that on average, each website that linked to page 1 content was linking from 37 different pages on their website.

Top-ranking webpages in Google have shorter URLs, with position 1 URLs averaging 59 characters in length.

Ver artigo completo
Muito interessante mesmo o estudo. Aprendi muito e tenho muito a te agradecer.
Obrigado pelo conteúdo precioso  :)

Basicamente, é um estudo fundamentado que abrange todos os pontos chave que devem ser considerados para a execução de um bom trabalho SEO:
  • keywords
  • titulo da página
  • url da página
  • backlinks

Apesar deste ser mais um dos vários estudos que dão insights preciosos de como podemos aumentar a probabilidade de aparecer na primeira página...

Importância da idade do domínio no ranking do Google
Quantidade de backlinks necessários para aparecer na primeira página do Google
Ter um url com uma estrutura SEO friendly
Influência do título no ranking do Google

Uma coisa é certa:
A chave para o sucesso está em seguir as boas práticas ditadas pelos experts da industria e confiar no processo.

Só assim vamos ficar mais perto de ficar no topo da primeira página do Google e conseguir gerar 25 mil visitas no site todos os meses!

Diogo Pinto

Administrador
Uma coisa é certa:
A chave para o sucesso está em seguir as boas práticas ditadas pelos experts da industria e confiar no processo.

Eu diria absolutamente o contrário! A chave para o sucesso está *testar* até onde nos for possível, ignorando os experts da indústria.

Pelo menos no que toca a SEO.
Eu diria absolutamente o contrário! A chave para o sucesso está *testar* até onde nos for possível, ignorando os experts da indústria.

Pelo menos no que toca a SEO.

Acho que não me fiz entender.

O que quero dizer é que não vale a pena voltar a inventar a roda... mas podemos tentar otimizar o desempenho e utilidade da roda com base na nossa própria experiência, e aí é que entra toda a lenga lenga dos testes e do "data driven".  :)

Diogo Pinto

Administrador
O que quero dizer é que não vale a pena voltar a inventar a roda... mas podemos tentar otimizar o desempenho e utilidade da roda com base na nossa própria experiência, e aí é que entra toda a lenga lenga dos testes e do "data driven".  :)

Uma coisa é certa:
A chave para o sucesso está em seguir as boas práticas ditadas pelos experts da industria e confiar no processo.

Não parece nada uma coisa com a outra. Por isso é que disse aquilo mesmo.

E vale mesmo a pena inventar a roda! Porque se vais acreditar no que a indústria de SEO te diz (pelo menos os all white-hat angels) não tarda nada estarás a apostar em Adwords. As diretivas não são regras, são sugestões de atuação. Porque a indústria não quer, nem pode, revelar aquilo que realmente funciona ou estariam sem emprego em 2 meses. Ok, isto não é exatamente assim, encontras informações relevantes em muitos locais, mas não são para serem lidas e interpretadas como a verdade absoluta.

Especialmente em Portugal, em que o mercado é tão pequeno e a generalidade dos nichos tão pouco trabalhada, é importante fugir ao conceptual e testar.

E já que estamos a falar de SEO:
- Os links que colocaste neste post não estão funcionais
- No post que colocaste tens apenas 1 h1, nada de h2, h3 ou h4

Isso vai precisamente contra aquilo que a indústria te diz para fazer :P
Não parece nada uma coisa com a outra. Por isso é que disse aquilo mesmo.

E vale mesmo a pena inventar a roda! Porque se vais acreditar no que a indústria de SEO te diz (pelo menos os all white-hat angels) não tarda nada estarás a apostar em Adwords. As diretivas não são regras, são sugestões de atuação. Porque a indústria não quer, nem pode, revelar aquilo que realmente funciona ou estariam sem emprego em 2 meses. Ok, isto não é exatamente assim, encontras informações relevantes em muitos locais, mas não são para serem lidas e interpretadas como a verdade absoluta.

Especialmente em Portugal, em que o mercado é tão pequeno e a generalidade dos nichos tão pouco trabalhada, é importante fugir ao conceptual e testar.


Dou a mão à palmatória quanto à possível existência de técnicas que devem ter resultados do outro mundo e não saem cá para fora.
Mas isto passa-se em qualquer mercado, e não só no marketing digital. Afinal de contas, diz-se que o segredo é a alma do negócio  :)

No entanto, as evidências são tantas no que diz respeito a determinados tópico (backlinks, titles, etc), que continuo a achar que devemos começar por adoptar o que já está mais do que comprovado antes de de começar a inovar.

E já que estamos a falar de SEO:
- Os links que colocaste neste post não estão funcionais
- No post que colocaste tens apenas 1 h1, nada de h2, h3 ou h4

Isso vai precisamente contra aquilo que a indústria te diz para fazer :P

Olhando para o código da página, confirmo que o post tem todos os tipos de headers . Agora se me falas na formatação e funcionalidade da página, a história já é outra :)

Diogo Pinto

Administrador
Olhando para o código da página, confirmo que o post tem todos os tipos de headers . Agora se me falas na formatação e funcionalidade da página, a história já é outra :)

Não olhei para o source code da página, corri no screaming frog (gosto sempre de ver ao pormenor o que o pessoal anda a fazer). Devolveu-me 1 h1 e o h2 (prof. máxima). Fui ver agora a página, como devia ter feito logo no início, e de facto tens lá os headings! Peço desculpa pelo lapso!

Dou a mão à palmatória quanto à possível existência de técnicas que devem ter resultados do outro mundo e não saem cá para fora.
Mas isto passa-se em qualquer mercado, e não só no marketing digital. Afinal de contas, diz-se que o segredo é a alma do negócio  :)

É verdade, mas para haver segredos tem que existir alguém que faça as coisas de forma diferente! Por isso é que não gosto de frases tão redutoras como "seguir as boas práticas ditadas pelos experts da industria".

Até porque não há boas práticas dadas pelos experts, as únicas boas práticas são dadas pelo google nas suas guidelines. Tudo o resto são especulações baseadas em testes pessoais dos autores dos artigos. Alguns com provas dadas, outros não :P